Márcia Le Fouet

Receitas rápidas e descomplicadas

Abobrinhas recheadas — August 29, 2017

Abobrinhas recheadas

Postei meu almoço hoje no insta e foi sucesso total, então corri para explicar como fiz.

É mais uma daquelas receitas que na verdade é só um modo de preparo, trucão mesmo, super versátil porque pode ser recheado com qualquer coisa que você tenha na geladeira.

Hoje eu usei uma abobrinha grande, que cortei no sentido longitudinal (ao comprido) e tirei a polpa central com uma colher.

Dispus as duas bandas numa assadeira, temperei com sal e pimenta do reino moída, e depois reguei com um pouco de azeite.

Levei ao fogo em 200 graus por uns 25 minutos, e depois que tirei do fogo “enxuguei” o excesso de água que saiu com papel toalha.

Para rechear, a geladeira e a imaginação são os limites!!!!

No meu caso, tinha um lombo congelado, sobra de outro dia. Passei ele no liquidificador na função pulsar, e ele ficou bem desfiadinho, parecendo carne moída.

Refoguei meia cebola pequena com azeite, coloquei a polpa da abobrinha que tirei antes, e depois adicionei a carne desfiada.

Acertei sal e pimenta, e estava pro tô o meu recheio.

Foi só colocar nas barquinhas, pressionando bem para preencher totalmente o espaço, polvilhar queijo (usei mozarela de búfala em uma banda e cottage na outra), e levar ao fogo até o queijo derreter – pq a carne é a abobrinha já estavam quentes.

Ficou muitoooo bom, delícia mesmo! Recomendo fortemente, por ser prática, rápida, saudável e até mesmo barata!

Como sugestões de recheio, pensei em:

– carne moída com ovo cozido (carne bem sequinha)

– frango

– frango com requeijão

– atum

– tilápia ou outro peixe,

Lembrando que a wallet desses recheios a gente pode acrescentar milho, ervilha, brócolis, azeitona e o que mais imaginarmos… como eu disse antes, a imaginação e a geladeira são os únicos limites!!!

Espero que façam, gostem e me mandem suas fotos!!!

Advertisements
Falsa pizza —

Falsa pizza

Eu podia chamar de crepioca, mas chamar de pizza, Ainda que falsa, soa mais impactante… 😀

Isso aqui nem é receita, é só um modo de servir a receita mais propagada na internet desde 2015.

Alguns usam goma de tapioca, outros aveia e eu prefiro sempre a farinha de amêndoas, pois acho o melhor sabor e a melhor textura (mais encorpadinha).

Fiz assim: misturei dois ovos (que eram pequenos, pq são caipiras), uma colher de sopa cheia de farinha de amêndoas, sal e pimenta do reino moída na hora.

Levei ao fogo na frigideira untada com azeite, e quando estava bom, virei para assar o outro lado.

Dois lados assados, foi só coloca molho de tomate, queijo e rúcula, e fingir que estava comendo a melhor pizza ever!

E olhe, não é pizza, óbvio que não é a mesma coisa, mas eu acho uma delícia!

Quem fez, aprovou! Recebi algumas fotos no Direct do Instagram e adorei!!!

Sopa/creme de cebola — August 25, 2017

Sopa/creme de cebola

Essa sopa apareceu a primeira vez no meu primeiro blog, há dez anos.

De lá para cá, fiz zilhares de vezes, mas já faz tempo que não preparo, por puro esquecimento…

É uma receita fácil, gostosa, rápida e barata. E se vc usar os ingredientes certos, acho até que ela pode ser considerada light/fit.

Ingredientes (para uma porção)

– 1 cebola grande cortada em rodelas

– 4 colheres de spa de azeite

– 1/3 de xícara de whisky

– 2/3 de xícara de cedo de legumes (o ideal é caldo caseiro, mas eu mesma raramente tenho em casa, então usei um daqueles prontos, do que tem menos sódio. Para ficar light, pode ser água, mesmo, mas se usar água recomendo diminuir um pouco do whisky)

– 1 xícara de leite (fica mais gostoso integral, mas para ser light eu usei o desnatado)

– 1 colher de café de maizena (eu sei que maisena é com S e com Z é a marca, mas. Ao consigo escrever com S, não me achem analfabeta)

– sal, pimenta e noz moscada para temperar

– queijo para gratinar

– pão para acompanhar

Começamos levando o azeite e a cebola ao fogo, para murchar. Gosto de colocar uma pitada de sal, para ajudar a desidratar a cebola.

Quando a cebola estiver clarinha, é hora de colocar o whisky e deixar o álcool evaporar.

Em seguida, vamos acrescentar o caldo (ou água), e deixar lá cozinhando, sempre em fogo baixo – para não secar demais e a cebola não ficar dura.

Quando reduzir um pouco a água, é só adicionar metade do leite, e continuar esperando a cebola fica bem molinha.

Depois que a cebola estiver super mole, é só acrescentar a maizena dissolvida na outra metade do leite (frio!), e colocar lá. Mexe bem para não empelotar, e verifica sal e pimenta. Nessa hora a gente coloca uma pitada de noz moscada, que faz toda a diferença.

Pronto!

É só colocar no recipiente em que se da servido, e polvilhar queijo.

Tradicionalmente, na França, eles servem com pão italiano e queijo gruyere, mas fica muito gordo (embora perfeitoooo).

Se você estiver muito light, coloca qualquer queijo magro e gratina; se estiver podendo, coloca gruyere ou parmesão que fica show!

Se vc for gratinar no forno, lembrar de usar um recipiente que possa ir ao forno e à mesa, ou então faz como eu e só gratina com o maçarico, mesmo.

Espero que todos façam e gostem!

Couscous marroquino com frango e legumes assados — August 24, 2017

Couscous marroquino com frango e legumes assados

Ontem fui, de improviso, jantar na casa de Carol e Bruno, meus grandes amigos e pais do BFF de José, Pedrão.

Os meninos comeram pizza, mas 1. Estamos todos querendo emagrecer e 2. Não posso perder a chance de comer do que Bruno cozinha, já que ele é chef de primeira!

Liguei para ele e combinamos de fazer um couscous marroquino com frango e legumes assados. Não é uma receita que já tínhamos, simplesmente pensamos em fazer algo saudável e usando o que já tínhamos em casa. Ficou assim:

2 “conjuntos” de coxa e sobrecoxa (que pode ser trocado por peito de frango, usamos isso pq era o que estava descongelado)

1 abobrinha

1 berinjela

1 cenoura grande

1 maço de rúcula

Uma xícara e meia de couscous marroquino

Alho, sal e pimenta para marinar o frango

O Primeiro passo é desossar o frango, e deixar marinando. Bruno deixou com azeite, sal e alho, mas em casa eu deixo com suco de laranja, sal e pimenta. Limão não eh uma boa, pq desidrata a carne…

Feito isso, é hora de fatiar os legumes – cortamos a berinjela em rodelas de mais ou menos um dedo de largura, com casca mesmo, e deixamos de molho em água e sal.

A abobrinha segue o mesmo corte, a diferença eh que deixamos em

Um depósito com um pouco de sal em cima delas, para dar uma desidratada e, assim, ela ficar soltar menos água.

As cenouras a gente cortou no sentido do comprimento, e não deixou de molho em nada.

Feito isso, pegamos o couscous e hidratamos na mesma quantidade de água fervendo. Para quem nunca fez na vida, não precisa cozinhar, é só colocar a quantidade de couscous num recipiente, a mesma medida de água (ou caldo) fervente, vedar bem e aguardar uns 5 minutos. Passado o tempo, é só afofar com um garfo para soltar os grãos.

Em Seguida, grelhamos os legumes na grelha (usamos aquelas chapas de ferro, mas pode ser em qualquer frigideira, óbvio!), e depois os cortamos em cubos.

O frango também foi para a chapa, com alho e azeite. Quando estava no ponto, cortamos em pedaços grosseiros.

Ai, voltamos o frango para a frigideira, E lá colocamos os legumes picados e o couscous. Regamos com azeite, um pouco de água, e acertamos sal e pimenta. Quando já estava tudo pronto, colocamos as folhas de rúcula, rasgadas com as mãos.

Era para ter uma salsinha fresca por cima, mas como a gente não tinha, usamos pregamos fresco, mesmo, e ficou bom.

Depois de tudo misturado, foi só emprestar e servir.

Ficou muuuito bom, mas achamos que ficaria perfeito se tivéssemos colocado maçã e nozes ou castanha, pois sentimos falta de algo adocicado e de crocância, então se vc tiver em casa nozes, castanha, macadâmia ou até amendoim, pode coloca um pouco que vai ficar muito bom!

E se curtir algo docinho, maçã ou uva passa (Branca e sem caroço!!!) também caem bem!

Esse é um prato rápido e prático, e que pode ser feito com os legumes que você tem em casa, pode ser com brócolis, couve flor, o que você quiser e tiver fica legal.

Comemos quatro pessoas, mas já tinha rolado entradinhas antes, eu diria que se for um prato único de jantar comem três pessoas “médias” ou duas muitoo famintas.

Pão de leite — April 20, 2017

Pão de leite

Para variar, a poeira tomou conta do meu bloguinho… Nenhuma novidade nisso, tem épocas em que eu realmente só entro no computador para trabalhar, e aí acabo postando as receitas apenas no instagram.

Mas quero voltar a postar aqui, até porque quando eu quero repetir algo que já fiz ou passar para alguém uma receita postada, a maneira mais fácil de achar é aqui, mesmo, então, gosto de manter neste espaço tudo o que faço na cozinha.

Na sexta passada estava com vontade de fazer um pãozinho caseiro, e acabei escolhendo um pão de leite que já tinha visto há um bom tempo no instagram da Marcella (@pimenta_preta). Escolhi esse por ser prático, rápido e eu já ter todos os ingredientes em casa.

E não me arrependi!

Que pão gostoso!!! E vamos considerar que eu 1. fiz metade da receita, mesmo com a minha balança digital sem pilha (ou seja, usei uma balança daquelas tradicionais, de modo que os gramas indicados não estavam precisamente bem medidos), e 2. a massa precisa ser sovada, mas eu simplesmente não sovei… hahahahahaha Dei aquela misturada básica, mexi para lá e para cá e pronto!

Com certeza eles não cresceram tanto e nem ficaram tãããão fofinhos em razão da ausência de sova, mas mesmo assim eu achei deliciosos!!! Muito bons mesmo!

A receita é muitoooo simples, vou colocar aqui do jeito que a Marcella postou (lembrando que fiz só a metade e rendeu 9 pãezinhos):

Pão de leite
550g de farinha de trigo
20g de fermento biológico seco
90g de açúcar
7 g de sal
300ml de leite morno
50g de manteiga derretida
1 ovo
Misture a farinha com o fermento, o açúcar e o sal. Misture o leite com a manteiga e o ovo.
Junte a mistura líquida aos secos, misture bem. Sove a massa por pelo menos 10 minutos, até ficar lisa e homogênea. Deixe descansar em local morno, coberta, por uma hora ou até dobrar de tamanho. Modele conforme desejado*, coloque na assadeira e deixe crescer novamente até dobrar de tamanho. Pincele com um ovo batido, asse em forno pré-aquecido, temperatura média, até dourar.

Para quem tem máquina de pão e batedeira planetária, a Marcella explica bem direitinho como fazer também. O site dela é muito legal, recomendo demais a visita, bem como o perfil dela no instagram, cheeeio de coisas deliciosas e lindas!

 

PÃO DE LEITE

(esse queijinho aí no meio é resquício da Holanda. Legítimo gouda holandês, maravilhoso demais da conta!)

Lasanha (meio) light de berinjela — August 22, 2016

Lasanha (meio) light de berinjela

Eu chamei essa lasanha de “meio” light porque, para mim, a lasanha de berinjela tradicional é aquela em que as rodelas são primeiro empanadas, ou seja, suuuper fat, e a que eu chamaria de light propriamente dita não levaria o queijo parmesão para gratinar…

 

Para fazer duas porções pequenas (que, ao meu ver, servem duas pessoas normais que não estão morreeeendo de fome), eu usei o seguinte:

 

– uma berinjela grande cortada em rodelas médias

– 3 colheres de sopa cheias de creme de ricota light

– um pedaço de ricota de aproximadamente um dedo de espessura (sente a falta de precisão da menina… hahahahaha)

– 4 colheres de sopa cheias  de carne moída já pronta (eu uso patinho, que é pouco gordurosa, e ela não estava muito “molhada” – eu queria a lasanha mais seuinha)

– 1/3 de xícara de leite desnatado (para dissolver um pouco o creme de ricota)

– sal e pimenta do reino

 

Fiz assim: cortei a berinjela em rodelas e as deixei de molho na água com sal, apenas pelo tempo em que separava os demais ingredientes, ligava o forno, separava o refratário, etc… Eu nem costumo fazer isso, mas como queria que o jantar saísse rápido, achei que valia a pena, pois a berinjela já daria uma amolecida.

 

Numa tigela, misturei o creme de ricota com o leite e a ricota ralada no ralador bem fininho, e temperei com sal e pimenta do reino moída.

 

Em seguida, enxaguei as berinjelas, e já passei para a montagem: um pouco do “molho branco” cobrindo o fundo do refratário, uma camada de berinjelas, uma cama de carne moída, outra camada de berinjelas e finalizei com o falso molho branco. Por cim,a um pouco (beeem pouco) de queijo parmesão ralado, só para dar o aspecto gratinado ao prato.

 

Pronto! Jantar rápido e fácil, delicioso e saudável.

 

IMG_9465

Risoto de abobrinha, maçãs glaceadas e nozes — July 21, 2016

Risoto de abobrinha, maçãs glaceadas e nozes

Como eu já falei no insta e no face quando postei a foto, minha ideia inicial era fazer um risoto de abobrinha com camarões, mas a preguiça de ir ao mercado me fez mudar os planos.

Acabou que foi uma ótima alteração, pois eu simplesmente adorei a combinação que acabou saindo das panelas, e já entrou para a minha lista de receitas fáceis, gostosas e que têm uma carinha de “arrumadinhas”.

Era para ser porção individual, mas eu tenho problemas com quantidades de comida, devo ter passado fome em outras encarnações e acabo sempre fazendo a mais. Assim, as quantidades que vou passar aqui são as que eu usei e servem duas pessoas sem muita fome, como por exemplo, que já tenham comido uma entradinha antes.

Mas é tudo muito simples, para aumentar o número de servidos, é só ir aumentando as quantidades dos ingredientes.

Primeiro passo a ser feito, é colocar água para ferver. Se você for uma pessoa evoluída que faz caldo caseiro, coloca o caldo caseiro de legumes para esquentar. Se for uma fraude como eu, coloca a água para ferver, e usa o caldo industrializado, mesmo… 🙂

Bem, passemos ao preparo efetivamente.

Eu comecei refogando meia cebola pequena em azeite, e quando ficou transparente, adicionei meia abobrinha em cubinhos também. Temperei com sal e pimenta, e deixei uns 5 minutos no fogo alto, mexendo sempre, só para dar um susto nelas.

Feito isso, reservei as abobrinhas em um prato.

Na mesma panela, coloquei a outra metade da cebola picada, mais azeite, dei uma refogada e em seguida acrescentei o arroz arbóreo – usei uma concha grande de arroz. Em regra, eu uso meço a quantidade de arroz com as mãos, mas dessa vez usei a concha para ficar uma medida minimamente repassável para quem quiser fazer a receita!!! hahahahahaha

Dei uma refogada no arroz, e em seguida adicionei mais ou menos uma xícara daquelas de cafezinho de whisky – pausa para explicações.

Receitas tradicionais de risoto levam vinho. Quando eu faço risoto para eu e mais alguém (ou mais alguéns) e vou tomar vinho, eu uso vinho. Mas quando vou fazer risoto só para mim, eu não abro uma garrafa de vinho só para isso. Eu uso o que estiver à mão! Em regra, é whisky (Johnnie Red, que sempre sobra dos aniversários de Guigão!), mas já usei Gim e também já usei cachaça. Tudo dá certo, gente! Despausa agora.

Coloquei o whisky, mexi bem e quando ele evaporou, comecei a adicionar as conchas de água quente, e meio tablete de caldo industrializado de legumes.

Dei uma mexida, baixei o fogo e, enquanto o arroz cozinhava (eu não passo 20 minutos mexendo direto, não. Nesse começo eu coloco o líquido e mexo de vez em quando, apenas… Já disse que sou uma fraude? hahahahahaha) eu piquei uma maçã verde com casca, e coloquei numa frigideira junto com uma colher de sopa cheia de manteiga, um fio de azeite, uma colher de chá de açúcar e, depois que a manteiga derreteu, coloquei sal até achar que estava com o gosto bom.

É só levar ao fogo baixo, mexer de vez em quando, e estão prontas as maçãs glaceadas. Também já fiz com pera, e fica show demais para usar em risoto.

Quando a maçã estava no ponto – cozida, porém firme, eu retirei os cubinhos da frigideira, deixando, porém, um pouco do “caldinho” que se formou. Aí, coloquei dois punhados de nozes apenas cortadas ao meio lá, e levei de volta ao fogo, mexendo sempre para as nozes não queimarem e não grudarem. Coisa rápida, só mesmo para dar uma cor e um sabor mais diferente.

Voltando ao arroz, quando ele já estava no ponto certo de cozimento (enquanto fazia a maçã e as nozes, fiquei dando umas mexidas nele, colocando mais água e verificando o ponto, claro!), eu coloquei a abobrinha refogada e a maçã glaceada lá. Verifiquei o ponto do sal, e coloquei pimenta do reino moída. Misturei bem, adicionei uma colher de sopa de manteiga (preferencialmente gelada), um punhado de parmesão ralado fino, e tampei a panela.

Uns minutos depois (3, 5, algo assim…), abri a panela, misturei bem tudo novamente, e servi o risoto. Resolvi colocar as nozes em cima pois achei que a apresentação ficaria mais bonita, mas elas podem ser misturadas ao arroz junto com as maçãs e abobrinha, e usar outra coisa para decorar. Dá certo do mesmo jeito!

Pronto, em menos de meia hora uma refeição completa e muito gostosa. Sem modéstia nenhuma, eu achei delicioso – mas só acha isso quem gosta de abobrinha e do contraste doce/salgado, por causa da maçã.

Espero que os amigos façam e, em fazendo, me mandem as fotos!!!

 

IMG_7889