Márcia Le Fouet

Receitas rápidas e descomplicadas

Tiramisu — February 26, 2018

Tiramisu

Eu não sou uma coffee lover na real acepção da palavra…

Gosto de café, tomo diariamente e sinto falta se ele não está presente no meu café da manhã, porém, café forte só o expresso… pro dia a dia, minha opção é ele mais fraco, quase um “chafé”.

Mas se tem uma coisa que eu AMO é tiramisu, a sobremesa italiana à base de café e queijo mascarpone. Ano passado, em Roma, acho que comi tiramisu em todos os almoços e jantares, sempre à procura do melhor – e cada um se mostrava melhor que o outro!

Apesar de parecer refinada, essa sobremesa tem preparo até simples, e o sucesso depende da qualidade dos ingredientes.

Se você tem um mascarpone maravilhoso, ela fica maravilhosa. Se é um mascarpone regular, ela fica apenas boa. Por isso, é importante comprar um de boa qualidade (embora em Recife haja poucas opções).

Pesquisei várias receitas, e acabei adaptando para o meu gosto. Ficou assim:

– um pacote de biscoito champanhe

– duas cápsulas já preparadas de café espresso, do mais forte que você tiver (se precisar de mais, faça mais, e se vc não tiver a máquina, faça um café super forte, acho que meia xícara será suficiente)

– 3 colheres de sopa de licor (usei Amarula)

– um pacote de queijo mascarpone de uns 400 gramas

– duas gemas

– essência de baunilha

– três colheres de sopa de açúcar refinado

– meia garrafinha de creme de leite fresco – eu gosto de deixar ele pelo menos meia hora no congelador, pois fica mais fácil para fazer o chantilly

– 3 colheres de açúcar refinado

– chocolate em pó ou cacau para polvilhar

A primeira mudança que eu fiz na receita foi omitir as claras. Não gosto muito de fazer receitas com clara crua, e acho que chantilly combina muito mais com a sobremesa.

para começar, misture o café com o licor em um prato, e vá umedecendo um dos lados dos biscoitos e os acomodando no local em que serão servidos.

Pode ser um refratário único, mas como adoro uma frescura, eu servi em potes individuais. Acho que coloquei um biscoito partido ao meio em cada um desses vidrinhos.

Depois, é só bater na batedeira as gemas (que eu gosto de peneirar, para tirar a “pele” delas) com 3 colheres de açúcar e umas gotas de essência de baunilha. Bater bem, até ficar um creme fofo e bem clarinho.

Passo seguinte é despejar esse creme sobre os biscoitos já umedecidos, fazendo a segunda camada da sobremesa.

Por fim, é só bater o creme de leite com o restante do açúcar em ponto de chantilly, na batedeira. ATENÇÃO! cuidado para não bater demais, e virar manteiga!!! O ponto é quando o creme fica durinho, naquela consistência típica de chantilly.

Colocar o chantilly por cima do creme de gemas, e por último polvilhar cacau ou chocolate em pó – eu usei cacau, coloquei numa peneira e peneirei em cada copinho, limpando depois as bordas com um pano.

Feitas as camadas, é só levar à geladeira (sugiro pelo menos umas 3h, quanto mais geladinho, melhor!) e servir.

Na minha casa, fez muito sucesso! Espero que faça na sua também!!!

Advertisements
Salada Thai —

Salada Thai

Semana passada eu estava espera do José sair do inglês e, como sempre faço no meu tempo ocioso, fiquei navegando pela minha rede social preferida – uma salva de palmas para o Instagram!!!!

Ai, vi um vídeo promocional dos Azeites Gallo em que a Chef Renata Vanzetto mostrava como fazer uma tal de salada Lótus, bem famosa em seu restaurante Marakuthai.

Pausa: eu nunca fui a nenhum restaurante da Renata, mas a sigo em TODOS os perfis que ela mantém, de todos os projetos que ela desenvolve, pq acho massa as receitas dela.

Enfim, a tal receita consistia em uma base de macarrão de arroz (bifun), repolho roxo, agrião e frango frito, tudo misturado e bem temperado.

Na hora em que eu vi, pensei: PRE-CI-SO fazer essa receita, é muito a minha cara!!!

Comi tinha um jantar agendado com amigos muito queridos e íntimos – daqueles que se você errar a comida eles vão dizer que tá ruim, mas isso não será nenhum constrangimento pq vocês já não buscam mais aceitação, e sim se gostam mesmo sabedores dos vários defeitos de cada um – ou seja, dá para testar receita nova, resolvi que faria a tal salada.

Mas é óbvio que eu não ia copiar, né? A internet tá aí para a gente “quase copiar”, se inspirar, pegar a ideia e adaptar. E foi isso o que eu fiz, e felizmente deu super certo!

Fiz assim: comprei Camarões médios e pequenos sem casca, e deixei marinando em shoyu e açúcar mascavo, da mesma forma que a chef fez com o frango.

Depois de uma hora, mais ou menos, fritei os Camarões em pouco azeite, de poucos em poucos e rapidamente, para eles não cozinharem e manterem a textura correta, sem ficarem borrachudos.

Enquanto isso, coloquei água para ferver para fazer o macarrão.

Quando os Camarões estavam todos prontos, cozinhei o macarrão (coisa rápida, só seguir a instrução da embalagem) e o escorri bem em água fria, para cessar o cozimento.

Aí, num refratário grande coloquei o macarrão, o repolho roxo cortado em tirar finas, o camarão, amendoim torrado sem sal (ela usou castanhas, mas achei que amendoim combinaria mais!) e rúcula (ela usou agrião, eu só tinha rúcula e achei que ficou perfeito!).

Por cima, shoyu sem pirangagem, pimenta do reino moída na hora (deveria ser pimenta dedo de moça, mas eu só pensei nisso na hora e não tinha em casa!), azeite muito e gengibre ralado.

Misturar tudo com a mão, mesmo, pq o danado do Bifun é chaaatooo para misturar!!

Depois de tudo bem misturado, é só servir e aguardar os elogios!

Com certeza vou repetir a receita usando frango, como ela é no original, mas confesso que essa versão com camarão me deixou muito apaixonada – tanto que repeti a receita no dia seguinte. E quando digo repetir, é refazer, mesmo, porque a que fiz pro jantar acabou toda, não sobrou nem um molhinho no fundo do refratário para contar a história.

Espero que vcs façam e gostem, e me mandem fotos se fizerem!!!

E quem quiser o link do Instagram com a receita original, eh só falar que eu mando lá no insta – não sei copiar para cá!!!

Por último, mas não menos importante: essa salada casou MUITO BEM com um espumante estupidamente gelado!

Abobrinhas recheadas — August 29, 2017

Abobrinhas recheadas

Postei meu almoço hoje no insta e foi sucesso total, então corri para explicar como fiz.

É mais uma daquelas receitas que na verdade é só um modo de preparo, trucão mesmo, super versátil porque pode ser recheado com qualquer coisa que você tenha na geladeira.

Hoje eu usei uma abobrinha grande, que cortei no sentido longitudinal (ao comprido) e tirei a polpa central com uma colher.

Dispus as duas bandas numa assadeira, temperei com sal e pimenta do reino moída, e depois reguei com um pouco de azeite.

Levei ao fogo em 200 graus por uns 25 minutos, e depois que tirei do fogo “enxuguei” o excesso de água que saiu com papel toalha.

Para rechear, a geladeira e a imaginação são os limites!!!!

No meu caso, tinha um lombo congelado, sobra de outro dia. Passei ele no liquidificador na função pulsar, e ele ficou bem desfiadinho, parecendo carne moída.

Refoguei meia cebola pequena com azeite, coloquei a polpa da abobrinha que tirei antes, e depois adicionei a carne desfiada.

Acertei sal e pimenta, e estava pro tô o meu recheio.

Foi só colocar nas barquinhas, pressionando bem para preencher totalmente o espaço, polvilhar queijo (usei mozarela de búfala em uma banda e cottage na outra), e levar ao fogo até o queijo derreter – pq a carne é a abobrinha já estavam quentes.

Ficou muitoooo bom, delícia mesmo! Recomendo fortemente, por ser prática, rápida, saudável e até mesmo barata!

Como sugestões de recheio, pensei em:

– carne moída com ovo cozido (carne bem sequinha)

– frango

– frango com requeijão

– atum

– tilápia ou outro peixe,

Lembrando que a wallet desses recheios a gente pode acrescentar milho, ervilha, brócolis, azeitona e o que mais imaginarmos… como eu disse antes, a imaginação e a geladeira são os únicos limites!!!

Espero que façam, gostem e me mandem suas fotos!!!

Falsa pizza —

Falsa pizza

Eu podia chamar de crepioca, mas chamar de pizza, Ainda que falsa, soa mais impactante… 😀

Isso aqui nem é receita, é só um modo de servir a receita mais propagada na internet desde 2015.

Alguns usam goma de tapioca, outros aveia e eu prefiro sempre a farinha de amêndoas, pois acho o melhor sabor e a melhor textura (mais encorpadinha).

Fiz assim: misturei dois ovos (que eram pequenos, pq são caipiras), uma colher de sopa cheia de farinha de amêndoas, sal e pimenta do reino moída na hora.

Levei ao fogo na frigideira untada com azeite, e quando estava bom, virei para assar o outro lado.

Dois lados assados, foi só coloca molho de tomate, queijo e rúcula, e fingir que estava comendo a melhor pizza ever!

E olhe, não é pizza, óbvio que não é a mesma coisa, mas eu acho uma delícia!

Quem fez, aprovou! Recebi algumas fotos no Direct do Instagram e adorei!!!

Sopa/creme de cebola — August 25, 2017

Sopa/creme de cebola

Essa sopa apareceu a primeira vez no meu primeiro blog, há dez anos.

De lá para cá, fiz zilhares de vezes, mas já faz tempo que não preparo, por puro esquecimento…

É uma receita fácil, gostosa, rápida e barata. E se vc usar os ingredientes certos, acho até que ela pode ser considerada light/fit.

Ingredientes (para uma porção)

– 1 cebola grande cortada em rodelas

– 4 colheres de spa de azeite

– 1/3 de xícara de whisky

– 2/3 de xícara de cedo de legumes (o ideal é caldo caseiro, mas eu mesma raramente tenho em casa, então usei um daqueles prontos, do que tem menos sódio. Para ficar light, pode ser água, mesmo, mas se usar água recomendo diminuir um pouco do whisky)

– 1 xícara de leite (fica mais gostoso integral, mas para ser light eu usei o desnatado)

– 1 colher de café de maizena (eu sei que maisena é com S e com Z é a marca, mas. Ao consigo escrever com S, não me achem analfabeta)

– sal, pimenta e noz moscada para temperar

– queijo para gratinar

– pão para acompanhar

Começamos levando o azeite e a cebola ao fogo, para murchar. Gosto de colocar uma pitada de sal, para ajudar a desidratar a cebola.

Quando a cebola estiver clarinha, é hora de colocar o whisky e deixar o álcool evaporar.

Em seguida, vamos acrescentar o caldo (ou água), e deixar lá cozinhando, sempre em fogo baixo – para não secar demais e a cebola não ficar dura.

Quando reduzir um pouco a água, é só adicionar metade do leite, e continuar esperando a cebola fica bem molinha.

Depois que a cebola estiver super mole, é só acrescentar a maizena dissolvida na outra metade do leite (frio!), e colocar lá. Mexe bem para não empelotar, e verifica sal e pimenta. Nessa hora a gente coloca uma pitada de noz moscada, que faz toda a diferença.

Pronto!

É só colocar no recipiente em que se da servido, e polvilhar queijo.

Tradicionalmente, na França, eles servem com pão italiano e queijo gruyere, mas fica muito gordo (embora perfeitoooo).

Se você estiver muito light, coloca qualquer queijo magro e gratina; se estiver podendo, coloca gruyere ou parmesão que fica show!

Se vc for gratinar no forno, lembrar de usar um recipiente que possa ir ao forno e à mesa, ou então faz como eu e só gratina com o maçarico, mesmo.

Espero que todos façam e gostem!

Couscous marroquino com frango e legumes assados — August 24, 2017

Couscous marroquino com frango e legumes assados

Ontem fui, de improviso, jantar na casa de Carol e Bruno, meus grandes amigos e pais do BFF de José, Pedrão.

Os meninos comeram pizza, mas 1. Estamos todos querendo emagrecer e 2. Não posso perder a chance de comer do que Bruno cozinha, já que ele é chef de primeira!

Liguei para ele e combinamos de fazer um couscous marroquino com frango e legumes assados. Não é uma receita que já tínhamos, simplesmente pensamos em fazer algo saudável e usando o que já tínhamos em casa. Ficou assim:

2 “conjuntos” de coxa e sobrecoxa (que pode ser trocado por peito de frango, usamos isso pq era o que estava descongelado)

1 abobrinha

1 berinjela

1 cenoura grande

1 maço de rúcula

Uma xícara e meia de couscous marroquino

Alho, sal e pimenta para marinar o frango

O Primeiro passo é desossar o frango, e deixar marinando. Bruno deixou com azeite, sal e alho, mas em casa eu deixo com suco de laranja, sal e pimenta. Limão não eh uma boa, pq desidrata a carne…

Feito isso, é hora de fatiar os legumes – cortamos a berinjela em rodelas de mais ou menos um dedo de largura, com casca mesmo, e deixamos de molho em água e sal.

A abobrinha segue o mesmo corte, a diferença eh que deixamos em

Um depósito com um pouco de sal em cima delas, para dar uma desidratada e, assim, ela ficar soltar menos água.

As cenouras a gente cortou no sentido do comprimento, e não deixou de molho em nada.

Feito isso, pegamos o couscous e hidratamos na mesma quantidade de água fervendo. Para quem nunca fez na vida, não precisa cozinhar, é só colocar a quantidade de couscous num recipiente, a mesma medida de água (ou caldo) fervente, vedar bem e aguardar uns 5 minutos. Passado o tempo, é só afofar com um garfo para soltar os grãos.

Em Seguida, grelhamos os legumes na grelha (usamos aquelas chapas de ferro, mas pode ser em qualquer frigideira, óbvio!), e depois os cortamos em cubos.

O frango também foi para a chapa, com alho e azeite. Quando estava no ponto, cortamos em pedaços grosseiros.

Ai, voltamos o frango para a frigideira, E lá colocamos os legumes picados e o couscous. Regamos com azeite, um pouco de água, e acertamos sal e pimenta. Quando já estava tudo pronto, colocamos as folhas de rúcula, rasgadas com as mãos.

Era para ter uma salsinha fresca por cima, mas como a gente não tinha, usamos pregamos fresco, mesmo, e ficou bom.

Depois de tudo misturado, foi só emprestar e servir.

Ficou muuuito bom, mas achamos que ficaria perfeito se tivéssemos colocado maçã e nozes ou castanha, pois sentimos falta de algo adocicado e de crocância, então se vc tiver em casa nozes, castanha, macadâmia ou até amendoim, pode coloca um pouco que vai ficar muito bom!

E se curtir algo docinho, maçã ou uva passa (Branca e sem caroço!!!) também caem bem!

Esse é um prato rápido e prático, e que pode ser feito com os legumes que você tem em casa, pode ser com brócolis, couve flor, o que você quiser e tiver fica legal.

Comemos quatro pessoas, mas já tinha rolado entradinhas antes, eu diria que se for um prato único de jantar comem três pessoas “médias” ou duas muitoo famintas.

Pão de leite — April 20, 2017

Pão de leite

Para variar, a poeira tomou conta do meu bloguinho… Nenhuma novidade nisso, tem épocas em que eu realmente só entro no computador para trabalhar, e aí acabo postando as receitas apenas no instagram.

Mas quero voltar a postar aqui, até porque quando eu quero repetir algo que já fiz ou passar para alguém uma receita postada, a maneira mais fácil de achar é aqui, mesmo, então, gosto de manter neste espaço tudo o que faço na cozinha.

Na sexta passada estava com vontade de fazer um pãozinho caseiro, e acabei escolhendo um pão de leite que já tinha visto há um bom tempo no instagram da Marcella (@pimenta_preta). Escolhi esse por ser prático, rápido e eu já ter todos os ingredientes em casa.

E não me arrependi!

Que pão gostoso!!! E vamos considerar que eu 1. fiz metade da receita, mesmo com a minha balança digital sem pilha (ou seja, usei uma balança daquelas tradicionais, de modo que os gramas indicados não estavam precisamente bem medidos), e 2. a massa precisa ser sovada, mas eu simplesmente não sovei… hahahahahaha Dei aquela misturada básica, mexi para lá e para cá e pronto!

Com certeza eles não cresceram tanto e nem ficaram tãããão fofinhos em razão da ausência de sova, mas mesmo assim eu achei deliciosos!!! Muito bons mesmo!

A receita é muitoooo simples, vou colocar aqui do jeito que a Marcella postou (lembrando que fiz só a metade e rendeu 9 pãezinhos):

Pão de leite
550g de farinha de trigo
20g de fermento biológico seco
90g de açúcar
7 g de sal
300ml de leite morno
50g de manteiga derretida
1 ovo
Misture a farinha com o fermento, o açúcar e o sal. Misture o leite com a manteiga e o ovo.
Junte a mistura líquida aos secos, misture bem. Sove a massa por pelo menos 10 minutos, até ficar lisa e homogênea. Deixe descansar em local morno, coberta, por uma hora ou até dobrar de tamanho. Modele conforme desejado*, coloque na assadeira e deixe crescer novamente até dobrar de tamanho. Pincele com um ovo batido, asse em forno pré-aquecido, temperatura média, até dourar.

Para quem tem máquina de pão e batedeira planetária, a Marcella explica bem direitinho como fazer também. O site dela é muito legal, recomendo demais a visita, bem como o perfil dela no instagram, cheeeio de coisas deliciosas e lindas!

 

PÃO DE LEITE

(esse queijinho aí no meio é resquício da Holanda. Legítimo gouda holandês, maravilhoso demais da conta!)